Xinhua – Diario de Pernambuco

A maior agência de notícias da China e um dos principais canais para conhecer o país

Acesso às energias renováveis ​​é essencial para adaptação ao clima na África, segundo chefe da ONU

Nações Unidas, 6 abr (Xinhua) – O apoio à adaptação climática na África é crucial, disse o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, na terça-feira, ao apelar por mais ações para fornecer energia renovável a centenas de milhões de pessoas que ainda não têm acesso a eletricidade confiável e acessível.

“Como o continente que menos contribuiu para a crise climática, a África merece o mais forte apoio e solidariedade possível”, disse ele em um diálogo on-line para líderes convocados pelo Banco Africano de Desenvolvimento.

O alto funcionário da ONU advertiu que “a adaptação não deve ser a metade negligenciada da equação climática”.

Embora a África tenha recursos renováveis ​​abundantes e inexplorados, recebeu apenas 2 por cento do investimento global em energia renovável na última década, relatou ele.

Os velhos modelos de desenvolvimento e uso de energia não conseguiram fornecer aos africanos acesso universal à energia, disse ele, o que significa que centenas de milhões de pessoas ainda precisam de eletricidade confiável e acessível ou estão cozinhando com combustíveis poluentes e prejudiciais.

“Podemos fornecer acesso universal à energia na África principalmente por meio de energias renováveis. Peço um pacote abrangente de apoio para cumprir esse objetivo antes da COP26”, disse o secretário-geral, referindo-se à conferência sobre mudança climática da ONU em novembro.

“É alcançável. É necessário. Está atrasado. E é inteligente: a ação climática é uma oportunidade de investimento de 3 trilhões de dólares americanos na África até 2030”, acrescentou ele.

No entanto, o secretário-geral apontou para a lacuna “importante nas finanças” que bloqueia o progresso em direção a essa meta. Ele convidou os países desenvolvidos a cumprirem seu compromisso de 100 bilhões de dólares com o clima, assumido há mais de uma década.

“Os países desenvolvidos e os principais financiadores devem garantir uma transferência rápida de bilhões para apoiar os investimentos verdes africanos, aumentar a resiliência e criar as condições para o financiamento privado em escala”, disse ele.

“E o setor privado deve se esforçar e se organizar para fornecer soluções imediatas e concretas aos governos. As autoridades locais podem trabalhar com sindicatos e líderes comunitários na requalificação e nas redes de seguridade social”.

Embora os governos africanos também possam liderar, comprometendo-se com planos ambiciosos de adaptação e mitigação, eles primeiro precisam recuperar sua autonomia fiscal, disse ele.

O chefe da ONU destacou a necessidade de estender a moratória da dívida para os países em desenvolvimento, feita no ano passado em resposta à pandemia de COVID-19, e até mesmo cancelar as dívidas quando apropriado.

Agência Xinhua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo