Xinhua – Diario de Pernambuco

A maior agência de notícias da China e um dos principais canais para conhecer o país

Texas proíbe exigência governamental de “passaportes de vacina”

Houston, 6 abr (Xinhua) -De acordo com a ordem executiva, ela proíbe as agências estaduais ou subdivisões políticas do estado de criar uma exigência de “passaporte de vacina” ou de condicionar o recebimento dos serviços ao status de vacinação de COVID-19 de um indivíduo.

A ordem também proíbe as organizações que recebem fundos públicos de exigirem que os consumidores forneçam documentação do status da vacina para receber qualquer serviço ou entrar em qualquer lugar.

“Todos os dias, os texanos estão retornando à vida normal à medida que mais pessoas recebem a vacina de COVID-19 segura e eficaz. Mas, como eu disse o tempo todo, essas vacinas são sempre voluntárias e nunca forçadas”, disse Abbott.

“O governo não deve exigir que nenhum texano mostre prova de vacinação e revele informações privadas de saúde apenas para seguir suas vidas diárias. É por isso que emiti uma ordem executiva que proíbe passaportes de vacina exigidos pelo governo no Texas”, disse ele.

A ordem executiva veio porque as credenciais da vacina, frequentemente chamadas de passaportes da vacina, estão sendo desenvolvidas em todo o mundo como uma forma de provar rapidamente o status de vacinação de alguém.

De acordo com um relatório do The Texas Tribune, o debate ficou acirrado, com os republicanos se opondo em grande parte à medida, dizendo que é uma violação das liberdades individuais e da privacidade. Apoiadores, incluindo várias empresas privadas, apontam os passaportes como uma forma de voltar às atividades com confiança e garantir a segurança no local de trabalho.

Nova York virou o primeiro estado americano a revelar essa medida em seu Passe Excelsior, que pode ser usado para comprovar rapidamente uma vacinação ou um teste negativo.

Agência Xinhua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao topo